Clara luz da noite

Pensamento aos pedaços


e trilha sonora... Ok!


Fui...



Casa que é casa nunca está pronta. Impossível ter tudo impecável. Todos os ambientes completos. Com móveis, paredes e pisos. Ainda mais quando a casa ou apê é alugado e não podemos reformar como gostaríamos. Por isso as mudanças tendem a ser na decoração, ainda mais com dicas de despesas baratas para não apertar o bolso mas já dar um novo ar ao seu lar! Note que uma pequena mudança às vezes faz uma grande diferença, colocar uma cor vibrante, algumas plantas ou itens que são baratinhos e se destacam no ambiente como almofadas, por exemplo, dá outra cara à sua casa. Mude a iluminação do ambiente e ele ficará outro. E lembre-se: "Qualquer casa ou ambiente lembrado com prazer reflete o amor de quem vive ali". 

1.     Um pouco de cor: as paredes são o fundo de qualquer esquema decorativo. Um bom truque é simplesmente pegar num balde de tinta numa cor do seu agrado e pintar uma das quatro paredes da sua divisão. Pode ainda optar por uma alternativa ainda mais econômica e pintar apenas uma porta. A luz do seu espaço fica automaticamente diferente e mais viva.
2.     Arte: crie arte digna de um museu de arte contemporânea, oi?  – pegue numa tela bem grande e envolva-a com um tecido que tenha um padrão diferente e do seu agrado, que dê uma assinatura sua ao espaço. Estique-o bem na parte de trás da tela. Depois é só pendurar!
3.     Puxe pela cabeça: a forma mais econômica de mudar a sua casa é mesmo mudar os lugares de tudo aquilo que já tem. Olhe à volta e pense de que modo um diferente arranjo de objetos e móveis pode dar uma nova vida ao espaço.
4.     Reutilize: outra ideia para a qual não vai gastar dinheiro é pegar em coisas que já tem em casa, numa qualquer divisão, e pensar ‘como posso utilizar este objeto para torná-lo em algo diferente e original?’. Um exemplo – uma mera caixa de fruta de madeira pode ganhar outra vida se pintada de outra cor e pregada à parede como prateleira, ou mesmo pegar várias dessas mesmas, envernizá-las, e juntas torna-las numa elegante mesa de café.
5.     Tapetes: mesmo em lojas muito baratas pode encontrar tapetes interessantes e coloridos, que fazem logo toda a diferença quando se quer mudar uma divisão.
6.     Mude a luz: Mudar o ambiente de uma sala ou de um quarto pode ser tão simples como mudar uma lâmpada. É verdade! Alterar a luz de um ambiente torna-o completamente diferente. Escolha uma lâmpada com menos potência e menos fluorescente, opte por luzes mais mornas e menos frias para tornar o ambiente mais acolhedor. Outra opção para mudar a luz do seu espaço é mudar a cúpula do seu abajur. Pode encontrar opções muito interessantes e em conta em lojas de antiguidades ou feiras, que podem ser recuperadas ou usadas para dar um pequeno toque vintage a casa ou cobrir o seu com tecidos colantes, fitas, etc.
7.     Traga o jardim para casa: ter vários vasos grandes com plantas juntos em vários lugares da casa confere-lhe sempre um ambiente mais vivo e natural. Uma simples folha de palmeira num vaso de vidro erguida por pedrinhas ou até areia no fundo do vaso confere todo um encanto simples, mas moderno ao seu espaço.

Vamos lá e mãos à obra!!!




Apesar de não ser segunda-feira, como disse no primeiro Levitação, hoje é um bom dia. O alívio cai sobre mim como sentimento de dever cumprido... sim! terminei um trabalho muito chato e agora é só leveza! 



A música para levitar de hoje já é outra levitação!!! Adoro!!!






A vida da gente tá cada dia mais corrida. Num ritmo que parece só acelerar cada vez mais. Trabalho, trânsito, compromissos que nos tiram todo o tempo livre, oi?, enquanto com isso nosso merecido descanso vai pro ‘beleleu’, tirar um momento só nosso está fora de cogitação, imagina cultivar a arte da reflexão, ou momentos devaneio-introspecção.
Muita gente pode dizer que isso não é necessário ou que é perda de tempo, mas estudos recentes dizem que pode ser uma parte cada vez mais importante da vida.
Mais pesquisas comprovam que as pessoas gastam entre 30% e 47% do tempo divagando e não ficam muito conscientes do que fazem. Isso comprova que os seres humanos são sonhadores incorrigíveis e que essa atividade, ou a falta de atividade na verdade, tem função importante para a criatividade.

Os resultados também indicam que atividades simples podem realmente facilitar sonhar acordado, uma vez que "eles consomem atenção apenas o suficiente para nos manter ocupados, deixando uma abundância de recursos mentais que sobraram para devaneios errantes".

A importância do tempo ocioso para o nosso cérebro

Você tem problemas para se concentrar e sente que é cada vez mais difícil dar conta de todas as tarefas do dia a dia? Experimente cultivar um novo hábito: o de deixar o smartphone de lado, desligar a TV e o computador e deixar seu cérebro descansar e ter devaneios (ou sonhar acordado) à vontade.
A pesquisadora e professora de educação, psicologia e neurociência na Universidade do Sul da Califórnia, Mary Helen Immordino-Yang, escreveu um artigo com outros colegas que trazia um levantamento da literatura científica existente da neurociência e da ciência psicológica explorando o que significa quando o nosso cérebro está em repouso.
O trabalho foi publicado na revista “Perspectives on Psychological Science” e aponta que, quando estamos descansando e focados em nosso mundo interior, nosso cérebro entra no chamado “modo padrão” ou “default”. A atividade desse modo default está ligada aos componentes do nosso funcionamento socioemocional, como autoconhecimento, julgamentos morais, desenvolvimento do raciocínio e construção de sentido do mundo que nos rodeia. Falando nisso, outra pesquisa recente, feita na Universidade da Califórnia em Santa Barbara, concluiu que ter devaneios realmente melhora a produtividade e ajuda na resolução de problemas.
Immordino-Yang e seus colegas expressaram preocupação com o fato de que os ambientes urbanos e virtuais (redes sociais cabem muito bem aí) têm exigido demais de nossa atenção. Para eles, isso talvez esteja minando oportunidades de reflexão e pode ter efeitos negativos sobre o nosso desenvolvimento psicológico.
Para a pesquisadora, a reflexão e o silêncio podem ser muito importantes também para o aprendizado e memória. “O foco para dentro afeta a maneira como construímos memórias e sentidos e o modo como transferimos o que aprendemos para novos contextos”, explica. Ela defende que as escolas incentivem o aluno a se voltar para si mesmo, o que pode ajudar na consolidação do aprendizado em longo prazo. “O equilíbrio é necessário entre a atenção exterior e interior, já que o tempo gasto com a mente vagando, refletindo e imaginando também pode melhorar a qualidade da atenção externa que as crianças podem sustentar”, completa.
Segundo os autores, talvez a conclusão mais importante a ser extraída de pesquisas sobre o cérebro em repouso é o fato de que isso não significa uma ociosidade negativa – pelo contrário, é fundamental para aprendermos com as experiências. Estudos já indicaram que, quando as crianças têm tempo e habilidades necessários para a reflexão, muitas vezes se tornam mais motivadas, menos ansiosas, têm melhor desempenho em testes e passam a planejar o futuro de forma mais eficaz.

(Este artigo foi publicado na Super Interessante)




Happy Valentine's Day!!!



A sexta-feira chegou!!!




Gosto muito, muito, muito mesmo, de assistir filmes. Sou aficionada pelo cinema, que para mim, é mágico. Quanto maior a tela, mas acredito que o que se passa nela pode ser real. #louca! Mas é assim mesmo, viajo em meus pensamentos, meio a lá Walter Mitty, um dos filmes do mês e o meu preferido!    
Conforme for assistindo, vou comentando por aqui. Tenho uma lista enorme de filmes que quero ver, então vou tentar organizar pra poder ‘ticá-los’ da lista!
Como tenho mania de anotar quase tudo em papeizinhos e amontoá-los em algum lugar perdido por aí, a lista de filmes era uma delas, uma amiga me indicou um site há uns anos que amei logo de cara! No Filmow consegui organizar e salvar tudo que já vi, os que lembrei pelo menos, e os que ainda quero ver.         
E atenção, the Oscar goes to...


Os filmes do mês de janeiro...

Lolaversus (Lola Versus) – 2012. Direção: Daryl Wein

A bela e romântica Lola (Greta Gerwing) ficou completamente destroçada quando seu namorado de longa data, Luke (Joel Kinnaman), cancelou o seu noivado duas semanas antes do casamento. Após ultrapassar um profundo estado de depressão, Lola decide aventurar-se novamente no mundo dos encontros românticos e, com a ajuda dos seus dois melhores amigos vai tentar encontrar um homem que a ame e respeite antes de celebrar o seu trigésimo aniversário.
Simpático e despretensioso ele agrada por seu estilo independente.

A onda (Die Welle) – 2008. Direção: Dennis Gansel

Em uma escola da Alemanha, alunos têm de escolher entre duas disciplinas eletivas, uma sobre anarquia e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger é colocado para dar aulas sobre autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de "A Onda" ao movimento, e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba perdendo o controle da situação, e os alunos começam a propagar "A Onda" pela cidade, tornando o projeto da escola um movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger tenta acabar com "A Onda", mas aí já é tarde demais.
Muito bom mas também de forte pressão psicológica.

Sete dias com Marilyn (My week with Marilyn) – 2011. Direção: Simon Curtis

Baseado diário de Miller publicado quase 40 anos após as filmagens de O príncipe encantado, intitulado The Prince, The Showgirl and Me ("O Príncipe, a Vedete e Eu"), em que faltava uma semana, e estas páginas desaparecidas foram publicadas mais tarde com o título My Week With Marilyn.
No verão de 1956, o jovem Colin Clark (Eddie Redmayne), vindo de Oxford em busca de sucesso na indústria do cinema, trabalhou como assistente no set de filmagem de O Príncipe Encantado. Esta produção reunia duas grandes estrelas, Sir Laurece Olivier (Kenneth Branagh) e Marilyn Monroe (Michelle Williams), que estava nesta época em lua-de-mel com seu novo marido, o dramaturgo Arthur Miller (Dougray Scott).

Muito bom também, e mostra um pouco da conturbada vida de Marilyn.

Rindoà toa (LOL (Laughing Out Loud), dir. Lisa Azuelos, 2008)

Essa é outra Lola, mais para adolescentes. Lola (Christa Teret) tem 15 anos e está prestes a iniciar o ano letivo escolar, onde reencontrará os amigos. Quando termina o namoro com Arthur (Félix Moati) ela encontra consolo junto a Maël (Jérémy Kapone), seu melhor amigo e também do ex-namorado. Anne (Sophie Marceau), a mãe de Lola e de outros dois filhos, está separada do pai deles, apesar de que ambos continuam se encontrando às escondidas. Super protetora, ela tenta se aproximar da filha, que cada vez está mais voltada para as amizades e as novidades da adolescência. 

Across the universe (Across the universe) – 2007. Direção: Julie Taymor

Esse filme é super legal! Não encontrei outra palavra... É um filme musicado só com músicas dos Beatles e conta a história dos jovens Jude (Jim Sturgees) e Lucy (Evan Rachel Wood) que vem de histórias totalmente diferentes e vivem na década de 60 e se envolvem nos movimentos da contracultura de sua época, tendo como guias o dr. Robert (Bono) e o sr. Kite (Eddie Izzard).

Poramor (Personal Effects) – 2009. Direção: David Hollander

Andrew Wakefield (Ashton Kutcher) está em busca de vingança pelo assassinato de sua irmã, mas tem sua atenção desviada ao conhecer Linda (Michelle Pfeiffer), uma mulher mais velha que perdeu o marido. Juntos eles tentam superar a dor. Andrew logo se torna o mentor do filho de Linda, tornando-se para ela algo mais do que uma simples companhia.
Bom filme, mas nada demais.

Cosmópolis (Cosmopolis) – 2012. Direção: David Cronenberg

A cidade de Nova Iorque está em tumulto e a era do capitalismo está chegando ao fim. Uma visita do presidente dos Estados Unidos paralisa Manhattan e Eric Packer (Robert Pattinson), o menino de ouro do mundo financeiro, tenta chegar ao outro lado da cidade para cortar o cabelo. Durante o dia, ele observa o caos e percebe impotente, o colapso do seu império. Packer vive as 24 horas mais importantes da sua vida e está certo de que alguém está prestes a assassiná-lo.
Chato!

Amorà distância (Going the distance) – 2010. Direção: Nanette Burstein

Erin (Drew Barrymore) e Garrett (Justin Long) viveram um romance despretensioso de seis semanas em Nova York e não pensavam compromisso algum. Mas quando chegou a hora dela voltar para São Francisco, veio a vontade de continuar se vendo. O difícil vai ser conseguir manter acesa a chama da paixão diante de tantas mensagens de texto, recados sensuais e telefonemas até altas madrugadas.
Dos filmes adocicados com a doce Drew, bom para passar um tempinho acalentando o coração.


E no cinema dois filmes que arrasaram:

Álbumde família (August: Osage Country) – 2013. Direção: John Wells

Barbara (Julia Roberts), Ivy (Julianne Nicholson) e Karen (Juliette Lewis) são três irmãs que são obrigadas a voltar para casa e cuidar da mãe viciada em medicamentos e com câncer (Meryl Streep), após o desaparecimento do pai delas (Sam Shepard). O encontro provoca diversos conflitos e mostra que nenhum segredo estará protegido. Enquanto tenta lidar com a mãe, Barbara ainda terá que conviver com os problemas pessoais, com difíceis relações com o ex-marido (Ewan McGregor) e com a filha adolescente (Abigail Breslin).
O filme é denso, com momentos de humor - negro - e tragédia, mais tragédia inclusive e passagens inquietantes e perturbadoras. Um drama que mostra na tela a relação vivida por muitas famílias, creio eu,  mas chegando aos extremos.


A vida secreta de WalterMitty (The secret life of Walter Mitty) – 2013. Direção: Bem Stiller


Walter Mitty (Ben Stiller) é o responsável pelo departamento de arquivo e revelação de fotografias da tradicional revista Life. Ele é um homem tímido, levando uma vida simples, perdida em seus sonhos. A revista, prestes a fechar, recebe um último negativo de seu principal colaborador, o fotógrafo Sean O´Connell (Sean Penn). A existência de tal fotografia mergulha Mitty em uma jornada em busca de Sean, sujeito alheio às tecnologias e difícil de ser encontrado. A partir de tal momento é impossível separar a realidade do imaginário de Mitty.
O filme é uma graça, é fofo, é lindo, é sensível. Dá aquele sentimento de que é isso que nos falta na vida, tomar uma decisão importante e ir em busca dela até o fim, ainda mais me reconhecendo no personagem do Walter... uma day-dreamer com menos emoção, mas que viaja em pensamentos. A fotografia é lindíssima e a trilha sonora maravilhosa, tão sensível e graciosa como todo o resto!




Amei!!!


... Na moda
O Alguma Inspiração será um espaço pra falar de qualquer coisa que vislumbre a vida.
Isso mesmo, pode ser uma luz no fim do túnel ou algo que traga luz para o dia, a hora, o mês, a vida!

O de hoje é sobre moda... na verdade, sobre estilo. Na entrevista de Lilian Pacce com Karl Lagerfeld na festa de abertura da exposição "The Little Black Jacket" da Chanel, onde ele foi o fotógrafo. Lá vi pela segunda vez Carine Roitfield, ex-modelo e editora de moda da Vogue Paris por dez anos, uma mulher extremamente elegante e fina que já inspirou quando da primeira vez, onde vi uma entrevista dela que tinha poucos e bons conselhos sobre estilo. Palavras que sugerem ideias que podem auxiliar, ou melhor, externar pensamentos e desejos no desenvolvimento no nosso próprio estilo, desde que este seja mutável. Eu vivo assim... acho que a maioria de nós. Tenho meu estilo que não é rotulável porque não sigo tendências e modas. Adoto no meu guarda-roupas que vive aumentando, diminuindo e mudando, como indicam os bons consultores de moda e personal stylists  -aproveite da moda o que lhe cai bem, peças que vestem bem em mim e as que eu gosto para aprimorar meu estilo, tentando assim chegar a um estilo ideal. 



Carine Roitfeld é uma daquelas editoras de moda cujo estilo é marcante e bem a sua cara: sexy e ao mesmo tempo comportado (ela é daquelas mulheres que diz que a cada década que passa o comprimento da saia vai ficando mais comprido), moderno e ao mesmo tempo clássico. O tipo de mulher para se espelhar, fiel a si mesma, consistente, atual. Comprar cada vez menos e melhor. Num bate-papo de Carine Roitfeld com o site Telegraph sobre dicas de estilo e de como se manter fiel à sua personalidade seus seis conselhos são:

1- Mostre sua individualidade: “Com tendências tornando-se fenômenos mundiais, é muito importante ter uma leitura única do que a moda tem a oferecer. Seja você mesmo no meio disso tudo, moda não deve ser esforço demais. Meus amigos estilistas estão sempre tentando mudar meu estilo e me dar roupas, mas sempre recuso. É fundamental que minhas roupas reflitam minha personalidade forte. A mulher é sempre mais importante que a roupa”.

2- Insista no que lhe cai bem: “Eu me visto do mesmo jeito há 20 anos, só o comprimento da minha saia que mudou. Estilo consistente mostra confiança, e saber o que funciona em você poupa tempo quando você está se arrumando. Meu estilo só tem uma personalidade, a Carine, que eu descreveria como sóbria e quase classicamente parisiense. Ela é forte. É importante ter senso de humor na hora de se vestir: meu moletom de estampa de Bambi da Givenchy é uma das minhas peças favoritas.”

3- Realce suas qualidades:
“Encontre algo que você gosta na sua aparência e acentue isso. Minhas sobrancelhas e pernas são meus melhores traços. Gosto de usar maquiagem preta nos olhos para chamar atenção para minhas sobrancelhas, e meu guarda-roupas consiste basicamente em peças ajustadas ao corpo. Com meus olhos negros, roupas pretas e pernas finas, meu estilo pode parecer bem rock n’ roll”.

4- Não compre peças-tendência:
Só compre roupas que você planeja usar para sempre. É importante ver tendências como elas são: um jogo. Encontrar uma peça de roupa que lhe vista bem é mais excitante do que entrar numa modinha maluca. Peças pretas são um investimento, e embora cores tenham espaço no meu guarda-roupa, nunca as misturo: me visto ou toda de preto, ou toda de branco, ou toda de cáqui. Escolha peças com personalidade”.

5- “Conforto não é parte do meu vocabulário de moda. Você perde um pouco da sua atitude quando está se sentindo confortável demais. Penso na minha combinação de renda como sexy, não relaxante, e é isso que tenho em mente quando a visto por baixo das minhas roupas para compras ou provas de roupa”.


6- Vista-se do pescoço para baixo:  ”Meu segredo de beleza de cabelo e maquiagem é quanto mais bagunçado melhor. É mais fácil para mim porque não consigo enxergar nada sem meus óculos. Nunca passo meu delineador direitinho pela manhã, então ele fica borradinho mesmo. Acho sexy, e além do mais, ele sempre fica mais bonito no fim do dia de qualquer jeito. O cabelo bagunçadinho dá um ar mais jovial a qualquer look. Como todo mundo, estou tentando esconder os sinais de envelhecimento com o passar dos anos, mas respeito a minha idade”.


 Chiquerrima!!!



Porque os gatos "amassam pão"? Esse comportamento felino de marchar , também chamado de "amassar pão" , e massagear com as patas, quando encontram superfícies macias, serve para depositar o odor pessoal do felino ali demonstrando ser seu território. Mas eles também sentem muito prazer fazendo isso. Essa massagem também chamada de movimento de ordenha é algo que sobreviveu como um ato afetivo à infância dos gatinhos, quando faziam isso para estimular o leite da mãe. Esses momentos para os gatos são aconchegantes e calorosos, de felicidade total, porque lembram a nutrição inicial. É um hábito que eles realmente adquirem na fase da amamentação, na barriga da mãe, para sair o leite. É um momento sublime, de segurança e puro afeto. Quando adultos eles transferem esse ato quando têm sensações boas, quando fazem isso nos humanos, por exemplo, é uma associação com o amor materno. Vocês sabem que gatos muito amados por seus humanos são eternos bebês. Mas esse ato dos felinos é algo bom, ligado a boas sensações. Assim como quando eles ronronam significa felicidade e afeição. Se o seu gato massageia o seu colo antes de dormir, possivelmente a vê como mãe postiça... Os gatos gostam desses movimentos e se sentem em segurança fazendo isso. A Nina adora amassar minha barriga, tanto que até dói com aquelas patinhas magrelas!

Para o primeiro dia do ano!!!

Todo 1º dia de cada mês, os gregos desejam “Kalo Mina” uns aos outros, que 

significa “tenha um bom mês”, como parte da Filoxenia, filosofia grega de 

hospitalidade e amor com as pessoas. 

Estamos no começo do ano... ainda dá tempo!!!

Acorda menina!!!







Evite acidentes, faça tudo de propósito!

É ao mesmo tempo fascinante e amoral. Celebra a vida!


Essa que vos fala

Minha foto
Existe aqui uma mulher Uma bruxa, uma princesa Uma diva, que beleza! Escolha o que quiser Mas ande logo Vá depressa Nem se atreva A pensar muito O meu universo Ainda despreza Quem não sabe O que quer...

Atalho do Facebook

Sejam bem vindos!!!

"Já aviso, aqui a casa é ventilada, o coração é quente e as vontades têm a temperatura exata para os sonhos".
Vanessa Leonardi

Um lema

"Não me pergunte quem sou e não me peça para permanecer o mesmo".

Michel Foucault


Porque?

Pra pensar, pra desabafar, pra gritar pro mundo...
Pra compartilhar, pra chorar e pra rir de tudo!!!

tá procurando o quê?

"Apenas viver não é o suficiente, disse a borboleta, É preciso ter sol, liberdade e uma pequena flor!"

Total de visualizações de página

Postagens populares

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Follow by Email

Páginas

Labels