Clara luz da noite

Pensamento aos pedaços


         Cerveja....
                 Kit Kat....
                          Vento frio....
                                       Assobio.....



                       


"Graças a deus"! Não é isso o que as pessoas dizem?? O porque eu não sei, não entendo, não me interessa e mesmo que me interessasse nunca viria a saber!!! Não sei porque agradecer por algo que não se tem. Ou então seria: _obrigada senhor por essa vidinha de merda, essa passagem inútil. Obrigada por nada. Obrigada por conseguir o que não gosto, obrigada pelas rudas e cabelos brancos e solidão nas horas mais imprecisas, obrigada por desperdiçar minha vida e minha juventude por algo ilusório que não me satisfaz.... obrigada por toda insatisfação da minha vida que é tudo o que consigo fazer pra sobreviver nesse mundo, obrigada por minha filha não gostar de mim e obrigada por minha mãe nunca me compreender, obrigada por eu nunca fazer o suficiente, obrigada por fumar fazer mal, beber ser um vício e trepar ser errado!, obrigada por pensar ser estranho, sentir ser imoral e demonstrar ser loucura, e principalmente, obrigada por acreditar ser burrice, obrigada por ser tão difícil e por não ser tão forte quanto esperado. Amém!


Desde que consegui definir o que me fazia sentir um dos perfumes que uso, tenho usado quase sempre... Acho que ando precisando de alegrias!!!
Não estou 100% desde que me mudei, sei que não devo reclamar e olhar para as coisas boas, mas as vezes cansa ter que encontrar coisas boas em tudo!!! 
O estranho é que também não tenho rompantes sentimentais, arroubos de choro ou qualquer coisa do gênero. Não, é pior. É uma monotonia enlouquecedora, é um sair sem rumo pra ter que voltar...
Tá estranho viver assim...


                                                                                            Janais - Priveľa dní

 bosque de bétulas


Como tudo tem um simbolismo, os números também carregam significados que podem estar presentes nas nossas vidas. Calculando nosso número pessoal e o número da nossa casa, por exemplo, é possível melhorar o astral do lugar onde moramos. Descoberta a vibração da numerologia do lar o Feng Shui pode ajudar a mudar a energia da casa.

Vamos lá!!!


Numero 0 - Branco    

No número pessoal: a pureza é característica básica dessa vibração. Esse algarismo indica que a pessoa está aberta a novas experiências, com leveza e harmonia. É o número dos novos começos e também uma indicação de boa sorte: pessoas com esse número pessoal costumam ter muita ajuda, boas oportunidades e cooperação dos amigos.


A soma dos números é igual a 5:
Eis o número ideal para aqueles que gostam de morar sozinhos. Ele está ligado às pessoas livres, independentes, que não aceitam dividir o teto com mais ninguém. Entretanto, para os que vivem só e se sentem infelizes com isso, 3 é o melhor resultado.

Para harmonizá-la: tons de azul vão acalmar essa gente, que não pára quieta, exatamente como o elemento água, que predomina na casa. Miosótis no jardim e flores azuis nos vasos também ajudam na tarefa. Espalhe sementes de anis-estrelado pela casa, águas-marinhas e óleo essencial de anis.




5: Instabilidade e Movimento.

. Essa vibração exige versatilidade.
. Seus moradores estarão constantemente em movimento.
. É liberdade, aventura, mudança.
. As características deste número apontam a falta de relacionamento entre os que nela residem. Além disso, poderá trazer instabilidade na vida espiritual, material e emocional.
. Irritabilidade, desentendimentos e brigas são constantes neste ambiente.
. O número 5 não é uma energia ideal.
. São pessoas simpáticas, e sempre conseguem o que desejam.
. Apreciam pessoas livres e independentes.
. Gostam de ação mesmo quando resultam em confusão.
. Esta vibração não é favorável para pessoas tensas.
. Para equilibrar essa energia é preciso usar na casa tons de azuis, o azul céu. O azul traz quietude e paz à mente.
. Esta casa estará cheia de visitas, pois haverá uma energia agradável.
. Há necessidade de se manter o foco nos afazeres, pois a energia desse número tende a deixar os seus ocupantes um pouco desligados, deixando sempre os afazeres para depois ou para que os outros façam.
. Para comércio é um número fraco.
. Indica mudanças e dificuldades para a família.
. Esta vibração aponta uma casa onde os imprevistos são constantes em todos os aspectos e um relacionamento entre as pessoas do tipo "alô - adeus".
. Pode também trazer instabilidade material, espiritual e emocional dificultando as relações.
. Número de movimento e mudança, pode fazer com que os moradores não permaneçam muito tempo no mesmo ambiente.
. Irritabilidade, desentendimentos e brigas poderão ser constantes.
. Geralmente acontecem muitas viagens para todos.
. Cansaço, mudança ininterrupta.




CASA NÚMERO 5
Vantagens: essa é a casa das viagens, das festas, da alegria, da mudança, da liberdade e da comunicação. A movimentação é constante na casa com a vibração do número 5 e o espírito de aventura e de independência impera na vida de seus ocupantes. Há muita energia de vitalidade, versatilidade e expansão. Boa casa para quem trabalha com viagens, comunicação, eventos, vendas e relações públicas.
Desvantagens: o excesso de agitação pode tornar os moradores dispersos, rebeldes e até mesmo impulsivos.
Dica de Feng Shui: inclua a cor verde e/ou lilás na decoração, objetos de madeira e/ou esculturas ou imagens que representem grupos de pessoas unidas.

Agora é só compor tudo de maneira aconchegante com algumas idéias que surgiram com o resultado da pesquisa e voilá, ficará perfeito!!!

Namastê!!!





  Há momentos infelizes em que a solidão e o silêncio se tornam meios de liberdade.

                                                                                                        Paul Valéry

  

Há um ano, Amy Winehouse nos deixava. Fernanda Young, nossa musa, escreveu sobre a cantora para a Revista Trip em maio de 2008.


  ♪  Amy Winehouse - Rehab


"Quem não tiver uma Amy Winehouse dentro de si que se apresente. Vai se apresentar para uma platéia vazia, obviamente, pois nessas ninguém está interessado. Mulheres que não admitem a sua dor – aquelas que são perfeitamente esquecíveis – não merecem nenhuma poesia, ou rascunho, ou rápida melodia, pois se recusam a abrir mão do conforto de uma farsa em nome de uma verdadeira vocação: a de sofrer belamente.
O Drummond escreveu que “a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional”. Um verso bonito, além de sábio, porém tipicamente masculino. Mulheres não sofrem por opção, sofrem por evolução. Nós sofremos porque percebemos coisas que os homens ainda não são capazes. Talvez, um dia.
Não há, portanto, a mulher que não sofra – há a que não se mostra. Já que o sofrimento é, para nós, uma espécie de vestido lindo, antigo e bem adornado; um Paul Poiret. À nossa disposição, no cabide. Então usaremos essa roupa, não tenham a menor dúvida. E algumas de nós o farão em público, deslumbrantemente. Como é o caso da Amy.
Você olha para ela e vê que aquela é sua maior aptidão: existir sob esse manto raro, por vezes sombrio, que a cobre. Não há nada em Amy Winehouse que não seja genuíno, e isso consegue ser gritante em sua música suave enquanto doce em sua aparência rude.
Atraente e repugnante ao mesmo tempo. Linda e digna de pena. Ora, pode haver imagem mais explícita da crucial inconstância feminina? Óbvio que é disgusting vê-la toda borrada, sem um dente, com sapatilhas a lhe denunciar as picadas que dá nos pés. Mas também é maravilhoso vê-la tão pequena, antiga de tão moderna, na medida que só os autênticos conseguem ser, e se equilibrar. Mesmo que essa idéia, a de equilíbrio, não pareça muito adequada à Amy. Para mim, é.
Amy Winehouse é um acontecimento secular, tipo Billie Holliday, Edith Piaf. A gente não tem como exigir higiene, ou conduta, ou senso de preservação, ou auto-estima, dessas mulheres. Seria pedir demais."
"Como dizer para essa moça o que ela talvez devesse ouvir? “Ei, Amy, deixe esse cara pra lá, ele não vale tanto a pena.” “Ei, Amy, faz o seguinte: toma no máximo cinco cervejas quando for ao pub.” “Ei, Amy, fume seu baseado, mas deixe o resto de lado.” Imagina a cara que ela iria te olhar?
Pela Amy Winehouse, sinto essa contradição, acho, parecida com a de todas as mulheres. Eu me identifico com a delinqüente, e a mulherona que cobre o Blake de porrada, mas me preocupo, como uma mãe com uma filha, a ponto de rezar por ela todas as noites. Uma reza sincera, para que Deus a proteja, igual faço pelas minhas meninas.
Amy, olha só: você é tão jovem... E quando fico emocionada tenho essa mania, cafona e burra, de usar reticências... Mas não!... Para a Amy Winehouse, não cabem emocionalidades baratas. A triste junkie que habita em mim não suportaria parecer uma mãezona dócil que faz promessa.
Então, mais uma dose. Por que que a gente é assim?"
"Por que bad boys são “os fodões” e bad girls são “as fodidas”? Por que os bad boys são símbolo de liberdade e as bad girls são presas para servir de símbolo? Por que bad boys são assim por rebeldia e as bad girls são assim por sem-vergonhice?
Aparentemente, o mau comportamento ficou de fora das conquistas feministas. Então que seja esta nossa nova luta: pela igualdade de direito de errar. Direito de fazer o que não se deve. De chegar em paz ao fundo do poço.
Dean Martin, Frank Sinatra, Sammy Davis Jr. e aquele outro, que eu esqueço o nome, bebiam todas, consumiam tudo, comiam qualquer uma – e eram o charmosíssimo “rat pack”.
Britney Spears, Lindsay Lohan, Paris Hilton e aquela outra, que eu também esqueço o nome, bebem uns champanhes a mais, tomam uns analgésicos, dão umas batidinhas de carro – e são as vadias bêbadas e drogadas de Hollywood.
É, o machismo acabou só para as caretas. Para as doidas continua valendo. Acho, inclusive, que as próprias mulheres têm culpa nesse atraso. Notoriamente mais competitivas entre elas, não competem apenas com a colega do lado, mas com todas as mulheres do mundo.
De Marilyn Monroe a Anna Nicole Smith, todas morreram sem uma amiga do lado. Por quê? Porque mulheres não são companheiras na sarjeta. Homens são. Ou seja, encontramo-nos no ponto em que, juntos, chegamos". 

Fernanda Young ainda dizia que torcia por ela mais do que pela seleção brasileira!!! Torcida compartilhada por muitos, porém torcida essa que acabou levando-a a morte por excesso de bebida após um período de abstinência. Sim, ela tentava deixar de lado o vício. Tentou inúmeras vezes. 









Hoje, 14 de julho, é comemorado em todo o mundo, o Dia da Liberdade de Pensamento. A data remete a um fato muito importante da história: a Queda da Bastilha, que marcou o início da Revolução Francesa.
Foi através da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que foram definidos, pela primeira vez, a liberdade e os direitos fundamentais do homem. Ela foi aprovada pela Assembleia Nacional Constituinte da França em 26 de agosto de 1789.
E eu que partia da premissa que isso era um direito nato, que não precisávamos de leis para tal!!!
Além de ter servido de inspiração para as constituições francesas de 1848 e para a atual, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão também foi base da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 10 de dezembro de 1948.
Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Nos artigos XVIII e XIX, por exemplo, estão dispostas as seguintes observações, respectivamente:

“Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular”.

“Todo homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”.


                          _ Ela é tão livre que um dia será presa.

                          _ Presa por quê?

                          _ Por excesso de liberdade.

                          _ Mas essa liberdade é inocente?

                          _ É. Até mesmo ingênua.

                          _ Então por que a prisão?

                          _ Porque liberdade ofende.


                                                                                Clarice Lispector


Foi no dia 13 de julho de 1985 que um cara chamado Bob Geldof, vocalista da banda Boomtown Rats, organizou aquele que foi sem dúvida o maior show de rock do planeta, o Live Aid, uma perfeita combinação de artistas lendários da pop music e do rock mundial.
O objetivo principal era o fim da fome na Etiópia e contou com a presença de artistas como The Who, Status Quo, Les Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Phill Collins (que tocou nos dois lugares), Eric Clapton e Black Sabbath.
Foi transmitido ao vivo pela BBC para diversos países e abriu os olhos do mundo para a miséria no continente africano. 20 anos depois, em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8 como uma nova edição, com estrutura maior e shows em mais países com o objetivo de pressionar os líderes do G8 para perdoar a dívida externa dos países mais pobres erradicar a miséria do mundo.
No Live 8 o Grupo de Rock Britânico Pink Floyd tocou junto, depois de 20 anos de separação.
Desde então, o dia 13 de julho passou a ser conhecido como Dia Mundial do Rock.


And I love Rock'n Roll!!!
Enjoy!!!




O número 13, e principalmente uma sexta-feira 13 está envolto em muita superstição, é considerado de má sorte por muitos e essa crença tem sua origem no cristianismo, porém a mitologia nórdica também tem sua lenda sobre a deusa Friga creditando azar ao dia e a numerologia traz explicações para o fato pois o número 12 é considerado algo completo, por exemplo: 12 meses no ano, 12 apóstolos de Jesus, 12 tribos de Israel, 12 signos do zodíaco. Já o 13 é considerado um número irregular, sinal de infortúnio. A sexta-feira ter sido o dia que Jesus foi crucificado também é considerado um dia de azar.

Já a numerologia traz explicações diferentes para os significados dos números.

O 13 é formado pelos números 1 e 3. O 1 simboliza coragem, iniciativa e disposição para correr riscos. Já o 3 representa a autoconfiança e o otimismo de acreditar no melhor da vida, além da reação de leveza e liberdade que acompanha essa atitude positiva perante os desafios. Tanto o 1 quanto o 3 gostam de viver livremente e não apreciam dar satisfações do que querem fazer e do que efetivamente fazem. Por que detestam ser mandados e seguir regras.
O interessante é que o 4, resultante da soma entre os números 1 e 3 - que formam o 13 - indica justamente o oposto. O 4 gosta de seguir regras e prefere o certo ao incerto. Almeja a estabilidade e não se sente à vontade em arriscar. Prefere seguir um ritmo calmo, com organização, planejamento e praticidade.
Então, o conflito está deflagrado dentro do próprio número 13. Há uma luta entre o risco e a segurança. O 4 é conservador, enquanto o 1 e o 3 preferem o novo, as novidades e a originalidade. O 4 é tradicional; o 1 e o 3 são rebeldes. O 4 gosta de apoio e da presença física das pessoas ao seu redor. Já o 1 e o 3 são independentes, amam a autonomia e um amplo espaço para desbravar. Provavelmente, por reunir em sua simbologia tendências tão opostas, o 13 pode ser considerado um número ambíguo: uns o consideram sinal de mau agouro, outros de boas vibrações.
O que por fim traz um misto de contradições como conservadorismo ou inovação; novidades ou comodidade; coragem de experimentar situações diferentes ou resistência à mudança. O ideal  é unir teoria e prática. 
No Tarot, o 13 é o número do arcano "A Morte". E essa carta representa a necessidade de mudanças, de sair da zona de conforto. Quem não se sente à vontade de mudar hábitos e situações em sua vida, tende a não gostar desta simbologia.
Então, diante desse cenário apresentado a respeito do simbolismo do 13, fica evidente que por trás de medos e superstições existe uma mensagem. A de que é preciso saber arriscar com confiança e planejamento, rumo ao que precisa ser mudado e reestruturado em nossa vida. Tais mudanças pedem coragem e, ao mesmo tempo, pés no chão. 

Se é essa a necessidade só depende de nós mesmos para transformá-la em realidade. Por isso, siga seus sonhos e corra seus riscos!!!


Agora é hora de por tudo em ordem e mudar o que já não é mais!!!
Dicas do tipo "pequenas mudanças, grandes diferenças". Mais uma navegada na internet...
Amei as dicas!!! Será que dá certo agora que já estou de apê novo?!?!?!?



                             
                                   




Não foi com música que começou, mas foi com ela, ou talvez por sua culpa que foi retomada! Música também guarda memórias, e melhor, as cria. Músicas lembram determinadas épocas ou apenas momentos. Lembra, quando ouvimos uma música de tempos atrás, mas martela na cabeça quando pensamos em algo ou alguém ouvindo uma música nova. Ela não precisa ter existido no momento rememorado, diferentemente dos cheiros e aromas, estes trazem automaticamente uma enxurrada de memórias! E essa é outra história! Porém, além do cheiro, a região do cérebro associada à música também está associada às memórias mais intensas de uma pessoa, servindo assim de trilha sonora para um filme mental que começa a tocar em nossa cabeça. "Ela traz de volta as lembranças de uma pessoa ou um lugar, e você pode de repente ver o rosto daquela pessoa na sua mente", segundo especialistas.
Porém, o que se passou também foi diferente, não eram lembranças ou memórias, era só um gosto bom e ficou melhor e sempre é quando a gente canta!!! E provar novamente esses sabores...


..."The future's in the air   
I can feel it everywhere   
Blowing with the wind of change...
Take me to the magic of the moment"...


Mas isso também já é outra música...    





E chegou a hora.... é amanhã!!!!
Meiguices e fofurices fáceis de fazer para dar um toque todo especial no apê novo!!!












Hoje acordei assim...
               ... um sentimento bom, ou melhor, pressentimento!






                               

Gato sagrado




Há muito tempo o gato é um animal associado com a bruxaria e a magia. Ele aparece como uma criatura mágica em várias culturas, desde o Egito até Roma e o Norte Europeu.


Em antigos rituais pagãos, máscaras de gatos e outros bichos, como bodes e lebres, eram usadas com o propósito de invocar os poderes dos animais.

Durante os julgamentos das bruxas no século dezessete, era uma acusação comum dizer que elas possuíam o poder de se transformarem em gatos. O gato preto, com seu óbvio simbolismo ligado aos poderes ocultos, era freqüentemente associado com o espírito das feiticeiras.

Por conta dessa perseguição, no ano de 1400 os gatos estiveram perto de desaparecer da Europa. Eles só conseguiram aumentar novamente o número de seus exemplares nos séculos 17 e 18, principalmente por sua habilidade em caça aos ratos, o que os tornava muito útil para os homens.


Todo 1º dia de cada mês, os gregos desejam “Kalo Mina” uns aos outros, que 

significa “tenha um bom mês”, como parte da Filoxenia, filosofia grega de 

hospitalidade e amor com as pessoas.



“É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou. Entregar todos os teus sonhos porque um deles não se realizou, perder a fé em todas as orações porque em uma não foi atendido, desistir de todos os esforços porque um deles fracassou. É loucura condenar todas as amizades porque uma te traiu, descrer de todo amor porque um deles te foi infiel. É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo. Espero que na tua caminhada não cometas estas loucuras. Lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor, uma nova força. Para todo fim, um recomeço.” 

                                                                       (Saint-Exupéry, O Pequeno Príncipe)

Evite acidentes, faça tudo de propósito!

É ao mesmo tempo fascinante e amoral. Celebra a vida!


Essa que vos fala

Minha foto
Existe aqui uma mulher Uma bruxa, uma princesa Uma diva, que beleza! Escolha o que quiser Mas ande logo Vá depressa Nem se atreva A pensar muito O meu universo Ainda despreza Quem não sabe O que quer...

Atalho do Facebook

Sejam bem vindos!!!

"Já aviso, aqui a casa é ventilada, o coração é quente e as vontades têm a temperatura exata para os sonhos".
Vanessa Leonardi

Um lema

"Não me pergunte quem sou e não me peça para permanecer o mesmo".

Michel Foucault


Porque?

Pra pensar, pra desabafar, pra gritar pro mundo...
Pra compartilhar, pra chorar e pra rir de tudo!!!

tá procurando o quê?

"Apenas viver não é o suficiente, disse a borboleta, É preciso ter sol, liberdade e uma pequena flor!"

Total de visualizações de página

Postagens populares

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Follow by Email

Páginas

Labels